quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Lançado 'O Raio Verde' de Eric Rohmer

A Atalanta Filmes juntamente com a FNAC Portugal irá lançar, em exclusivo, uma edição inédita "COMÉDIAS E PROVÉRBIOS" em DVD do cineasta francês impulsionador do movimento da nouvelle vague, ERIC ROHMER.


São 6 filmes numa caixa DVD Deluxe onde podemos encontrar o filme homónimo da obra de Verne, O Raio Verde.

Sinopse: O Verão começa, Delphine tinha planeado ir de férias com uma amiga, mas esta descompromete-se do combinado no último momento. Delphine encontra-se só bastante deprimida. É convidada por uns amigos para ir à Normandia e às montanhas, mas interrompe rapidamente a estadia. Acaba em Biarritz, em errâncias amorosas de encontros fortuitos, sem compromisso ou ligações. Até que, um dia, ouve casualmente uma conversa na qual descobre o famoso Raio Verde de que fala Júlio Verne. O título original em francês, Le Rayon Vert, refere-se a um romance de Júlio Verne sobre uma história de amor que é comparada ao último raio de sol que aparece no horizonte durante o pôr-do-sol: o raio verde.
Festival de Veneza 1986 | Leão de Ouro | Prémio Fipresci
.

O título original em francês, Le Rayon Vert, refere-se a um romance de J. Verne sobre uma história de amor que é comparada ao último raio de sol que aparece no horizonte durante o pôr-do-sol: o raio verde.

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Verne mais moderno do que nunca


Essa imagem está correndo o mundo desde o lançamento do Kindle , aquele pequeno aparelho criado pela empresa americana Amazon, que tem como função principal ler e-books (livros digitais) e outros tipos de mídia digital.

O primeiro modelo da plataforma foi lançado nos EUA e uma das propagandas do aparelhinho apresenta a icônica figura de Verne em seu ecrã.

Verne sempre à frente, sempre visionário... e agora mais moderno do que nunca!

Blog JVernePt citado na revista Telecabo

A revista Telecabo (disponibilizada em Portugal), na sua edição de Janeiro, decidiu, na sua nova secção, "Os blogs que interessam", recomendar o nosso blog como um espaço a visitar.



Em nome dos moderadores, deixo uma palavra de agradecimento à Revista TeleCabo pela fantástica publicidade.
Bem-hajam.

Comprem-na e vejam.

Fonte: Revista Telecabo (www.telecabo.net)

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Presentes Jules Verne

Com milhões de opções de produtos a sua disposição fabricados instantaneamente, a Zazzle é a única plataforma de retalho por encomenda para consumidores e grandes marcas a oferecer bilhões de produtos exclusivos de qualidade a retalho, entregues em 24 horas. Oferecendo a maior biblioteca de imagens digitais personalizáveis de marcas de classe internacional, a Zazzle permite aos proprietários de conteúdo disponibilizar todas as suas bibliotecas de conteúdo para compra e personalização pelos consumidores.

Foi com alguma surpresa que encontrei alguns produtos relacionados com J. Verne.
Aqui deixo alguns exemplos:




Para mais artigos relacionados com o escritor, é favor clicar aqui.
Pena que a notícia veio depois do Natal;)

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Selos de J. Verne vindos de São Tomé e Príncipe

Ainda que seja de 2008, um bloco de 4 selos, cada um representando uma imagem diferente de Júlio Verne, acaba de fazer a sua inscrição no catálogo Yvert & Tellier (nºs 2868-2871), como nos informa o amigo Jean Passepartout do Blog JulesVerneNews.
Estes selos provêm das ilhas de São Tomé e Príncipe.


quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Carta de Euclides da Cunha a seu filho

Coloco aqui uma carta escrita em 12 de Abril de 1908 por Euclides da Cunha (1868-1909), escritor e jornalista brasileiro, ao seu enteado.
Toda a carta é interessante mas chamo à atenção para o final onde o escritor pergunta ao filho se recebeu certo presente e aproveita para lhe dar uma "ordem".

Leiam:



Esta carta encontra-se no acervo do portal comum das bibliotecas nacionais francesa e brasileira (http://bndigital.bn.br/francebr).

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Disney suspende «20.000 Léguas Submarinas: Capitão Nemo»

Os estúdios Disney suspenderam por tempo indeterminado a produção de «Capitão Nemo: 20.000 Léguas Submarinas», de acordo com notícia veiculada pela «Variety».

Depois de ter ganho três Óscares em 1954 com o original «20.000 Léguas Submarinas» a partir do livro de Júlio Verne, este novo filme versaria a construção do submarino Nautilus pelo Capitão Nemo.

A «Variety» refere também representantes de McG que confirmam o abandono do projecto pelo realizador, que irá concentrar-se nos projectos «Dead Spy Running» e o eventual «Terminator 5». O futuro da saga do «Exterminador Implacável» está também dependente de um processo de falência que o franchise «Terminator» enfrenta.

Fonte: TVI24

Que o Capitão Nemo repouse em paz.

domingo, 15 de novembro de 2009

Afinal Verne sempre tinha razão...

Ontem chegou até nós a informação que a NASA tinha "bombardeado" a Lua com uma sonda para que esta pudesse descobrir água.
E não é que descobriu quantidades significativas de moléculas de água congelada (neve) nos pólos?? Mas, para quê gastar tantos dólares se Verne, no capítulo XVII de "À volta da Lua", já o tinha dito?

"Às seis horas da tarde passou o projéctil pelo pólo sul a menos de 70 quilómetros de distância. (...) - São neves! exclamou Barbicane. - Neves? repetiu Nicholl - Sim, Nicholl. Neves cuja superfície está profundamente gelada. Vede como reflectem os raios luminosos. Lavas arrefecidas não podiam dar tão imensa reflexão. Portanto, há ar, há água na Lua. Pouca, se quiserem. O facto em si, porém, ninguém o pode contestar!"

O nosso obrigado a J. Passepartout que nos relembrou este excerto.

sábado, 14 de novembro de 2009

Manifestação por... " Dois anos de férias"

Ocorreu em Douchy-les-Mines (França), na segunda-feira, logo após a escola. Os pais vieram buscar os seus filhos e se surpreenderam ao encontrar uma manifestação... organizada pelas crianças e os seus professores.

Na verdade, era apenas uma manifestação literária para dar início à operação "Leitura com Jules Verne", que faz parte da feira do livro de Douchy-les-Mines que se realizará dia 5 e 6 de Fevereiro. Este movimento pretendeu também mostrar a obra de J. Verne que será alvo de estudo: Dois anos de férias.

Fonte: Blog de Passepartout

sábado, 7 de novembro de 2009

Karen Acioly junta J. Verne e Santos Dumont

Karen Acioly dedica-se ao teatro para crianças e adolescentes há 22 anos, sendo a autora da maioria das peças que dirige e apresentado pelo menos um espetáculo inédito por ano. Elogiada pela crítica e aplaudida pelo público, a sua obra já recebeu as mais prestigiosas premiações do teatro infanto-juvenil.

Entre os seus espetáculos itinerantes está Os meus balões:

Em forma de opereta é retratada a vida do pai da aviação, Santos Dumont, desde a infância quando já acalentava a imbatível fé de que um dia voaria, até à realização de seu sonho, em Paris.
O aeronauta brasileiro, na peça, tem como amigo e parceiro incentivador, o imaginoso escritor Júlio Verne.

O espectáculo recebeu 8 indicações para prémios, entre eles as melhor texto, espetáculo, direcção e, na categoria especial, objetos de cena voadores.

Mais recentemente foi lançado o livro Os Meus Baloes - o Incrível Encontro de Júlio Verne com Santos Dumont:

Seja pela sede de saber, pelo sonho e a ousadia comum a ambos, é bem verdade que Júlio Verne e Alberto Santos Dumont poderiam ter sido irmãos - e gémeos! A autora partiu desta conjectura de fantasia e criou a opereta 'Os meus balões', sobre o hipotético encontro entre o inventivo escritor francês e o brasileiro, pai da aviação.

Este livro pode ser encontrado em todo o Brasil a um preço de R$ 26,10.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Revista 'J. V. Nº0' disponibilizada online

Revue Jules Verne, publicação verniana periódica editada pelo Centre International Jules Verne, teve a sua primeira edição, de 4 páginas, lançada em meados dos anos 80. Em 1996, o Centro decidiu colocar-lhe uma melhor apresentação e dar-lhe um novo título substituindo J. V., o antigo nome, pelo atual. É publicada duas vezes ao ano.

Recentemente, o blog homónimo dedicado à revista presenteou os vernianos com o lançamento, em formato digital, da J. V. Nº0.



As várias páginas poderão ser lidas ou vistas (para quem não entender o francês) aqui.

Fonte: Blog Revue Jules Verne

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Europa-América relança "À Volta da Lua"

Depois da Europa-América, magnífica editora portuguesa que edita atualmente muitos dos livros de J. Verne com as excelentes ilustrações da época, ter lançado, num novo formato e nova capa, o livro "Da Terra à Lua", aqui está a sua continuação "À Volta da Lua".

Este novo livro, que não substitui o do formato de bolso, insere-se nas comemorações do 40.º aniversário da chegada do Homem à Lua e tem um preço de €17.50.

Poderão adquiri-lo no site da Europa-América.

Sinopse:

Um empolgante romance, sequência de Da Terra à Lua, onde Júlio Verne antecipa o desenvolvimento da astronáutica.
À Volta da Lua é um clássico e uma obra fundamental da Ficção Científica. Escrita em 1870, noventa e nove anos antes da chegada do homem à Lua, é tida como uma obra visionária de Júlio Verne. Com esta edição especial pretende-se também comemorar os 40 anos da chegada do homem à Lua.

Vernotopia: o Musée Jules Verne por J. Gurney

James Gurney, um dos mestres da ilustração de livros BD e criador do universo Dinotopia, é o convidado de honra da 10ª edição do Utopiales, o Festival Internacional de ficção científica de Nantes que ocorre neste momento e para o qual ele desenhou o cartaz.
Além disso, é também é um grande fã de Jules Verne e por isso não deixou de visitar o Musée Jules Verne e de fazer, à sua maneira, um desenho deste espaço. Aqui está o resultado...



Fonte: Jules Verne News

domingo, 1 de novembro de 2009

'Viagem ao centro da Terra' este mês na TVC1

Não percam este mês, nos dias 15 e 24, pelas 21h, no canal TVC1 da TVCabo (Portugal), Viagem ao centro da Terra (2008) de Eric Brevig, com participação de Bredan Fraser.


Sinopse: "Brendan Fraser será um geólogo que, ao lado de seu sobrinho, descobre mensagens escondidas num antigo texto de J. Verne. Os dois desconfiam que o próprio escritor conseguiu descer ao centro da Terra - e escondeu dicas no meio do livro, como um mapa. A tentativa de solucionar a mensagem acaba por levá-los a uma viagem subterrânea de mundos e criaturas nunca vistas. "

Fique com o trailer:


Fonte: Revista Telecabo

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Peça 'Viaje al centro de la Tierra' na Guarda

A 7 de Outubro, o Teatro Municipal da Guarda apresenta um espetáculo para o público infantil que é também uma estreia em Portugal. “Viaje al centro de la Tierra”, da Rayuela Producciones, leva ao palco a mais célebre obra de Júlio Verne.



A “Viagem ao centro da Terra” faz parte do imaginário de inumerosas gerações de leitores desde 1867, data da publicação da obra. O mistério que brota de uma fortuita descoberta de um velho manuscrito encriptado; a aventura física que envolve uma viagem cheia de dificuldades e paisagens nunca vistas; a presença surpreendente da vida fóssil nas profundezas da Terra; e os perigos, proezas e aventuras dos protagonistas deixaram um sinal indelével em muitos jovens leitores desde que esta obra foi publicada. Todavia, a literatura de Verne está a ser injustamente relegada para um segundo plano. Os avanços científicos e os modernos meios de entretenimento fazem com que a obra do genial autor seja referida, cada vez mais, como uma relíquia do passado, inclusivé como um legado da literatura fantástica não isenta de um certo anacronismo.

Na hora de apresentar esta montagem queremos propor, aos nossos pequenos espectadores, a possibilidade de desfrutarem com o mesmo grau de intensidade de uma história escrita no século XIX do que outra nascida nos meados da indústria cultural do século XXI. Não se trata, unicamente, de provocar a curiosidade pela leitura da obra de Verne, mas sim o de incorporar no imaginário do nosso público o mundo fantástico e cheio de maravilhas que Verne nos proporcionou.

Viagem ao centro da Terra” é possivelmente a obra mais fantástica deste autor, sobretudo porque é a menos científica de todas pois Verne deixa voar a sua fantasia em sacrifício da exatidão científica. A imaginação enfrenta aqui os feitos e realidades do mundo conhecido e transforma-a num caminho até ao interior, uma viagem até ao centro da Terra.





Horários: 4ª10:00
Grupo/Actores: Maribel Carro, Xiqui Rodríguez, Diego López e Damián Barrera
Encenador: Nina Reglero e Carlos Nuevo
Sala: Pequeno Auditório
Endereço: Rua Batalha Reis nº 12, 6300-668 GUARDA
Concelho: Guarda
Distrito: Guarda
Telefone: 271205240
URL: www.tmg.com.pt

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

"A Ilha Misteriosa" de Cy Endfield na TV

Às 15h00 do dia 4 do próximo mês, o canal RTP Memória (Portugal) irá transmitir A Ilha Misteriosa (1961) de Cy Endfield, filme baseado na obra homónima de J. Verne.


Sinopse: "O Capitão Cyrus Harding (Michael Craig) leva consigo três soldados da União numa arrojada fuga de um campo de prisioneiros da Confederação, num balão roubado. Uma forte tempestade força o balão a dirigir-se para uma ilha do Pacífico onde o grupo fica perdido. Dois náufragos partilham o perigoso encontro que eles têm com um grupo de bestas gigantescas. A sua luta pela sobrevivência é ajudada pelo misterioso Capitão Nemo (Herbert Lom), do submarino Nautilus que, numa tentativa de aumentar a oferta de alimentos do mundo, ajudara a criar os estranhos animais. Quando se dá a erupção de um vulcão que ameaça destruir todos, será que Nemo os pode salvar?"

Deixo-vos o trailer e aconselho-vos a visualização deste vídeo sobre os efeitos especiais produzidos por Ray Harryhausen.

Fiquem com o trailer:

Não percam!
Marquem já nas vossas agendas!

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

O Kraken português

Pescadores portugueses pescaram ao largo de Marrocos uma lula gigante com o peso de 83 quilos. O impressionante espécime foi hoje depositado na lota de Sagres pelo armador José Carlos, do barco "Ribamar".

A cabeça da pota (espécie de lula) mede 1,5 metros e os tentáculos 5,5 metros.

Foi encontrada a 800 metros de profundidade por portugueses que estavam na altura a pescar cherne.

Para mais informações sobre as lulas gigantes, ler o artigo Existe a Lula Gigante? disponibilizado aqui no blog.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Site JVernePt no 'Centre International Jules Verne'

O nosso site sobre J. Verne, www.jverne.pt.vu, é já uma referência na Internet para todos os que procuram informação em português sobre o escritor francês.
Sabendo disso, muitos são os sites internacionais sobre Verne que já colocaram um link para o nosso espaço.
O último a fazê-lo merece uma atenção especial.



O Centre International Jules Verne, situado na maison do escritor, em Amiens, é, como o próprio nome indica, um centro de investigação, estudo e análise da vida e obra de J. Verne, sendo o seu diretor, Jean-Paul Dekiss. Recentemente, foi colocado na secção liens do seu site, cuja visita é obrigatória, o link para o nosso espaço, como poderão ver na imagem:



Fica o nosso agradecimento ao CIJV pela publicidade.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

'Around the World... ' - Cuba (La Habana & St. Clara)

Em 2008, ano em que se comemoraram os 180 anos do nascimento de J. Verne, o escritor francês foi homenageado com uma volta ao mundo do seu livro ‘A volta ao mundo em 80 dias’. Este partiu do Porto, em Portugal, e, fazendo escalas em diversos países e passando pelas mãos de ilustres vernianos dispersos em todo o Mundo, regressou à cidade portuguesa depois de um pouco mais de 80 dias de viagem.

Infelizmente, devido a motivos geográficos, burocráticos e outros, não foi possível passar, na sua viagem, por países fascinantes como foi o caso de Cuba, na América Central.

Curiosamente, os meus pais, aquando da sua decisão do seu destino de férias, escolheram precisamente este país e, devido a esse facto, pedi-lhes que levassem o livro de forma a que essa homenagem continuasse neste ano de 2009.

Havana é uma capital alegre e colorida, cheia de azáfama e diversões, com algumas jóias arquitetónicas esplêndidas. Uma delas é o símbolo da cidade, o Capitólio, que combina a elegância do neoclassicismo com elementos art déco. Inaugurado pelo ditador Gerardo Machado, é uma imitação livre do Capitólio de Washington, mas ainda mais alto.

A cúpula domina a paisagem urbana de Havana

À entrada, embutida no chão, sob a cúpula, vê-se a cópia de um diamante de 25 quilates. O original pertencia ao último czar da Rússia e o Estado Cubano comprou-o a um joalheiro turco. Foi roubado e mais tarde, misteriosamente, voltou à secretária do Presidente.

O diamante serve de referência a todas as distâncias em quilómetros medidas em Cuba.

Em frente, a Estátua da República, uma peça fundida em Roma e coberta com folha de ouro de 22 quilates. Pesa 49 toneladas e tem 17 de altura, sendo a terceira mais alta do Mundo.


Na ala sul encontra-se o Salón de los Pasos Perdidos. Esta sala sumptuosa, com um belíssimo chão de mármore e candeeiros dourados, deve o seu nome à antiga e invulgar acústica. No lado oposto, a Câmara dos Deputados que ainda possui o mobiliário antigo e se apresenta decorada com baixos-relevos do artista italiano Gianni Remuzzi.


À janela podemos ver o Gran Teatro de La Habana, uma das maiores óperas do Mundo, que foi construído em 1915 para palco das actividades sociais da grande e opulenta comunidade espanhola de Havana. Atualmente abriga o célebre Ballet Nacional, uma companhia e escola de dança conhecida por organizar um famoso festival anual de ballet.


A caminho da saída apresenta-se um memorial a José Martí, um herói revolucionário e poeta nacional.


No exterior do edifício podemos ver alguns meios de transporte típicos em Cuba como os automóveis clássicos, as carroças antigas puxadas por cavalos e os riquexós, ou bicitáxis, uma alternativa aos táxis mais lenta mas ecológica.


Na despedida à cidade ainda houve tempo de tomar um daiquirí na Floridita com Ernest Hemingway. O escritor americano, apaixonado por Cuba, decidiu, em 1939, permanecer na ilha onde viveu até 1960, um ano antes de ter cometido suicídio nos EUA.

Hemingway escreveu os seus romances mais famosos em Cuba. Estava na sua casa, Finca La Vigia, em 1954, quando soube que tinha recebido o Prémio Nobel. “Esse prémio pertence a Cuba, uma vez que as minhas obras foram criadas e concebidas em Cuba, com os habitantes de Cojimar, de onde sou cidadão.

Mas o momento alto desta viagem ainda estava para chegar…

Antes desta viagem a Cuba, várias vezes, na solidão, tinha olhado para o livro e pensava nas cidades maravilhosas que viu e nas pessoas fantásticas que conheceu. Porém, sentia que esta volta ao mundo não tinha ficado completa, sentia que faltava a assinatura de um grande verniano, um homem que me ensinou bastante sobre Verne, além de Carlos Patrício, através da sua revista, a Mundo Verne, na qual me orgulho de ter podido colaborar, e que merecia ter o seu nome junto de outros nomes reconhecidos no mundo verniano.
Já todos sabem, com certeza, de quem falo. O seu nome: Ariel Pérez.


Ariel Pérez, Santa Clara - Cuba... uma nova assinatura na volta ao mundo verniana do século XXI

Pedi encarecidamente aos meus pais, aquando da sua saída de Portugal, que fizessem todos os possíveis para se encontrarem com este verniano. Apesar de certas dificuldades, o tão esperado encontro aconteceu na cidade de Santa Clara, terra Natal de Ariel, em 8 de Setembro de 2009.

Santa Clara foi fundada a 15 de Julho de 1689 por um grupo de habitantes de Remédios, uma cidade litoral de Cuba, que se deslocaram da costa para ficarem a salvo dos piratas. É agora conhecida por “a cidade da guerrilha heróica” por, em 1958, ter tido lugar a última batalha da luta da guerrilha dirigida por Che Guevara, que pôs fim à ditadura de Baptista.

O ponto de encontro foi marcado para a frente do Memorial de Che Guevara na Plaza de la Revolución.


A dominar o monumento, construído para comemorar o 30º aniversário da batalha, vê-se uma impressionante estátua de bronze de Che com o braço engessado (partiu-o na batalha precedente) e sob esta, num baixo-relevo que representa cenas da batalha, estão gravadas as palavras históricas que escreveu na sua carta de despedida antes de partir para a Bolívia. Por baixo do monumento, encontra-se um museu onde estão expostos objectos pessoais do guerrilheiro. A construção mais recente da praça é o memorial em lembrança a Che e aos 38 camaradas encontrados na Bolívia trinta anos após a sua morte e levados para Cuba em 1997.


Deixo aqui (mais) uma homenagem a J. Verne junto com umas palavras de agradecimento ao Ariel e aos meus pais por me terem ajudado a concretizar este meu desejo.
Já agora, um beijo especial de Parabéns a estes últimos pelos seus 27 anos de casados comemorados, em Cuba, no passado dia 18 de Setembro.


Siga o trajeto no Mundo através do Google-Earth:



------------------------------------------------------------

En el 2008, año en que se conmemoraron los 180 del nacimiento de J. Verne, el escritor francés fue homenajeado con una vuelta al mundo de su libro ‘La vuelta al mundo en 80 días’. Partió de Porto en Portugal e hizo escalas en diversos países, pasando en su recorrido por las manos de ilustres vernianos dispersos en todo el mundo, para luego regresar a la ciudad portuguesa después de más de 80 días de viaje.

Infelizmente, debido a motivos geográficos, burocráticos y otros, no fue posible hacer que el libro, en su viaje, llegase a países fascinantes como fue el caso de Cuba, en América Central.

Curiosamente, cuando mis padres tomaron la decisión de seleccionar su destino de viaje como parte de sus vacaciones, escogieron precisamente este país y, fue debido a ese hecho, que les pedí que llevasen el libro de forma que este homenaje continuase en este ano 2009.

La Habana es una capital alegre y colorida, llena de bullicio y diversiones, con algunas espléndidas joyas arquitectónicas. Una de ellas es el símbolo de la ciudad, el Capitolio, que combina la elegancia del neo-clasicismo con elementos del estilo Art Deco. Inaugurada por el dictador Gerardo Machado, es una imitación libre del Capitolio en Washington, pero aún más alto.

(1ª foto)
La cúpula domina el paisaje urbano de La Habana

En la entrada, construida en el suelo bajo la cúpula, se observa una copia de un diamante de 25 quilates. El original perteneció al último zar de Rusia y el estado cubano lo compró a un joyero turco. Fue robado y luego, de forma misteriosa, regresó a la mesa del Presidente.

(2ª foto)
El diamante sirve de referencia a todas las distancias en quilómetros medidas en Cuba.

En frente, la Estatua de la República, una pieza fundida en Roma y cubierta con hojas de oro de 22 quilates. Pesa 49 toneladas y mide 17 de alto, siendo la tercera más alta del mundo.

(3ª foto)

En el ala sur se encuentra el Salón de los Pasos Perdidos. Esta suntuosa sala, con pisos de mármol y candelabros dorados, debe su nombre a la antigua e inusual acústica. En el lado opuesto, la Cámara de los Diputados que aún posee el antiguo mobiliario y se presenta decorada con bajorrelieves del artista italiano Gianni Remuzzi.

(4ª y 5ª fotos)

A través de la ventana podemos ver el Gran Teatro de La Habana, uno de los mayores del mundo, que fue construido en 1915 para organizar las actividades sociales de la inmensa y opulenta comunidad española de La Habana. En la actualidad alberga el célebre Ballet Nacional de Cuba, una compañía y escuela de baile conocida por organizar un famoso festival anual de ballet.

(6ª foto)

A la salida se encuentra un monumento a José Martí, un héroe revolucionario y poeta nacional.

(7ª foto)

En el exterior del edificio, podemos ver algunos medios de transporte típicos en Cuba, como los autos antiguos, los antiquísimos carruajes tirados por caballos y los bici taxis, una alternativa a los taxis más lenta, pero ecológica.

(8ª y 9ª fotos)

Al despedirse de la ciudad aún hay tiempo para tomar un daiquiri en el Floridita con Ernest Hemingway. El escritor estadounidense, apasionado por Cuba, decidió en 1939, permanecen en la isla, donde vivió hasta 1960, un año antes de suicidarse en los Estados Unidos.

(10ª foto)

Hemingway escribió sus novelas más famosas en Cuba. Estaba en su casa, en la Finca La Vigía, en 1954, cuando supo que había recibido el Premio Nobel. “Este premio pertenece a Cuba, ya que mis trabajos fueron creados y concebidos en Cuba, con los habitantes de Cojímar, de donde soy ciudadano.”

Pero el mejor momento de este viaje aún estaba por llegar…

Antes de este viaje a Cuba varias veces, cuando estaba solo, había mirado el libro y pensaba en las ciudades que vio y las personas fantásticas que conoció. No obstante, sentía que esta vuelta al mundo no había sido completa, sentí que faltaba la firma de un gran verniano, un hombre que me enseñó mucho sobre Verne -además de Carlos Patrício- a través de su revista, Mundo Verne, con la que tengo el orgullo de colaborar, y que merecía tener su nombre junto al de otros nombres reconocidos en el mundo verniano.

Ya todos saben, seguramente, de quien hablo. Su nombre: Ariel Pérez.

(11ª y 12ª fotos)

Le pedí encarecidamente a mis padres, a su salida de Portugal, que hiciesen todo lo posible para encontrarse con este verniano. A pesar de algunas dificultades, el tan esperado encuentro tuvo lugar en Santa Clara, tierra natal de Ariel, el 8 de septiembre del 2009.

Santa Clara fue fundada el 15 de Julio de 1689 por un grupo de habitantes de Remedios, una ciudad costera de Cuba, quienes se habían asentado en la costa para estar a salvo del ataque de los piratas. Ahora es conocida como “la ciudad del guerrillero heroico", porque en 1958, tuvo lugar la última batalla de la lucha de la guerrilla liderada por el Che Guevara, que puso fin a la dictadura del Batista.

El punto de encuentro fue fijado en las áreas del Memorial al Che Guevara en la Plaza de la Revolución.

(13ª foto)

Este monumento, construido para conmemorar el 30 aniversario de la batalla, está dominado por una impresionante estatua de bronce del Che con el brazo en cabestrillo (se le había roto en la batalla anterior a esa última), y debajo de esta, se puede ver un bajorrelieve que representa algunas escenas de la batalla, y se registran las históricas palabras que escribió en su carta de despedida antes de partir a Bolivia. Debajo del monumento existe un museo donde se exponen los efectos personales del guerrillero. Una construcción más reciente de la plaza es el memorial que recuerda al Che y a los 38 compañeros encontrados en Bolivia treinta años después de su muerte y llevados a Cuba en 1997.

(14ª foto)

Dejo aquí constancia de un nuevo homenaje a J. Verne junto a unas palabras de agradecimiento a Ariel y a mis padres por ayudarme a lograr mi deseo.

Ya ahora, un beso especial de felicidades a estos últimos por sus 27 años de matrimonio celebrados en Cuba, el pasado 18 de septiembre.

(15ª foto)


Siga el trayecto en el mundo a través de Google-Earth.

------------------------------------------------------------

En 2008, l’année où on a commémoré les 180 ans de la naissance de Jules Verne, on a rendu hommage à l’auteur français faisant le livre Le Tour du monde en 80 jours compléter un voyage un tour du monde. Son départ : la ville de Porto, au Portugal, ayant des connexions dans plusieurs pays, passant par les mains d’ illustres verniens repandus dans le monde. À la fin, le livre est retourné à la ville portugaise après une quatre-vingtaine de jours de voyage.

Malheureusement, par des raisons géographiques, bureaucratiques et d’autres encore, il n’a pas été possible que le livre soit passé, dans le voyage, par de fascinants pays comme Cuba, en Amérique Centrale.

Par curiosité, mes parents, lors de la décision d’où partir en voyage de vacances, ont choisi precisement ce pays et, dû à ce fait, je leur ai demandé de ramener le livre pour que l’hommage continue dans l’année 2009.

Havane est une capitale gaie, colorée, qui bouge et pleine de diversion avec de splendides perles architéctoniques. L’une de ces perles est le symbole de la ville, Le Capitole, qui mélange l’élégance du néoclassicisme aux éléments art déco. Inauguré par le dictateur Gerardo Machado, c’est une imitation libre du Capitole de la ville de Washington, mais encore plus haut.

(1ère photo)
La coupole qui règne sur le paysage urbain d’Havane.

À l’entrée, dans le sol, sous la coupole, on voit la copie d’un diamant aux 25 carat. À l’origine ce diamant appartenait au dernier czar de Russie et l’État de Cuba l’avait acheté d’un marchand de bijoux turc. On l’a volé et, plus tard, il a été remis, mystérieusement, à la sécretaire du président.

(2ème photo)
Le diamant qui sert de référence à toutes les distances en km mésurées à Cuba.

Devant, La Statue de la République a été fondue à Rome et couverte de feuilles d’or de 22 carat. Elle pèse 49 tonneaux et a de 17m de haut. Cette statue est considérée la troisième en hauteur du monde.

(3ème photo)

Dans l’aile sud on trouve le Salón de los Pasos Perdidos. Ce salon somptueux, avec son beau parquet en marbre et des lampes dorées, doit son nom à l’ancienne et rare acoustique. Du coté opposé, La Chambre de Députés possède encore les mobiliers anciens et présente son décor avec des bas-reliefs de l’artiste italien Gianni Remuzzi.

(4ème & 5ème photo)

À la fenêtre on peut voir le Gran Teatro de La Habana, l’une de plus grandes opéras du monde qui a été bâtie en 1915 pour siéger les activités sociales de la grande et opulente communauté espaganle de Havane. Actuellement, elle abrite le célèbre Ballet Nacional, une école de danse connue de tous car c’est elle qui organise le fameux festival de ballet.

(6ème photo)

À la sortie, on voit un Memorial de José martí, un héros révolutionnaire et poète nacional.

(7ème photo)

À l’extérieur de l’édifice on peut voir quelques moyens de transports tipiques de Cuba comme les automobiles classiques, les charrues à cheval et les riquexós, ou bicitáxis, une alternative moins vite et plus écologique.

(8ème & 9ème photo)

Au moment de prendre congé de la ville, on a eu le temps de prendre un verre de daiquirí à la Floridita avec Ernest Hemingway. L’écrivain américain, passioné de Cuba, s’est décidé, en 1939, de rester sur l’île où il a vécu jusqu’à 1960, u an avant d’avoir commis suicide aux Etats-Unis.

(10ème photo)
Hemingway avait écrit ses romans le plus fameux à Cuba. Il était chez lui, à Finca La Vigia, quand il a su qu’il avait remporté le prix Nobel : «ce prix appartient à Cuba, une fois que mes oeuvres ont été créés et conçues à Cuba, tout comme aux habitants de Cojimar, d’où je suis citoyen»

Mais le climax de ce voyage était sur le point d’arriver...

Avant ce voyage à Cuba, plusieurs fois, tout seul, je regardais le livre et je pensais aux villes merveilleuses et aux gens fantastiques qu’il a pu connaître. Mais je regretais que ce voyage ne soit pas tout à fait accompli, il manquait la signature d’un grand vernien, un homme que m’avait beaucoup appris sur Jules Verne, outre Carlos Patrício, à travers sa revue Mundo Verne, à laquelle je suis fier d’avoir collaboré et que méritait avoir son nom ajouté aux autres noms reconnus dans le monde vernien. Vous savez déjà de qui je parle, ça c’est sûr. Son nom : Ariel Peréz.

(11ème & 12ème photo)

J’ai prié à mes parents de, lors de leur sortie de Portugal, faire le possible pour fixer rendez-vous avec ce vernien. Malgré certaines difficultés, la si attendue rencontre a eu lieu à la ville de Santa Clara, lieu de naissance de Ariel.

Santa Clara a été fondée le 15 Juillet par um groupe d’habitants de Remédios, une ville de la côte de Cuba, qui ont déménagé pour se sauver des pirates. Aujourd’hui cette ville est connue par « la ville de la guérille héroïque » pour, en 1958, avoir servi de place à la dernière bataille de lutte de la guérille dirigée par Che Guevara, qui a mis fin à la dictature de Baptista.

La rencontre a eu lieu devant Le Memorial de Che Guevara sur la Plaza de la Revolución.

(13ème photo)

En contemplant le monument, costruit pour fêter le 30º anniversaire de la bataille, on voit une impressionate statue en bronze de Che au bras cassé lors de la bataille précedente. Sous cette statue, en bas-relief qui représente les scènes de la bataille, sont gravés les mots historiques qu’il avait écrit dans la lettre de congé avant de partir en Bolivie.
Au-dessous du monument il y a un musée où on expose des objets personnels de Che.
La construction la plus récente de la place est le «memorial» aux souvenir de Che et aux 38 camarades trouvés en Bolivie trente ans après sa mort, menés à Cuba en 1997.

(14ème photo)

Je rends (encore une fois) un hommage à Jules Verne avec des mots de remerciments à Ariel et à mes parents pour m’avoir aidé à concretiser ce souhait.
De ma part, des bisous de félicitations à mes parents pour les 27 ans de vie commune commémorés à Cuba le dernier 18 septembre.

(15ème photo)

Suivez l’itinéraire du voyage du livre à travers le monde sur Google-Earth.

------------------------------------------------------------

In 2008, year of the 180º anniversary of Jules Verne’s birth, the French writer was honored with a world tour of his book 'Around the World in 80 Days'. It left Porto in Portugal and made stops in several countries, passing on its way through the hands of fellow vernians all around the world, before finally returning to this Portuguese city after a more-than-80-days trip.

Unfortunately, due to geographical, bureaucratic and others reasons, it was not possible to have the book visited some fascinating countries as in the case of Cuba, a Central America island.

Interestingly, my parents took the decision to go, on their vacation, to this country, and this was the fact that led me to ask them to carry the book, as a chance to continue, in some way, the homage to our writer in this year.

Havana is a lively and colorful capital, full of bustle and entertainment, with some splendid architectural gems. One of those is the symbol of the city, the Capitol, which combines the elegance of neo-classicism with Art Deco elements. Opened by Dictator Gerardo Machado, is a free imitation of the Capitol in Washington, but even higher.

(1st photo)

At the entrance, built in the floor under the dome, there is a copy of a diamond of 25 carats. The original belonged to the last Tsar of Russia and it was after this fact that the Cuban government bought it from a Turkish jeweler. It was stolen and then mysteriously returned to the President’s office.


(2nd photo)

In front, the Statue of the Republic, a huge monument founded in Rome and covered with sheets of 22 carat gold. It weighs 49 tons and it is 17 mts high, being the third highest in the world.

(3rd photo)

In the south wing is the Hall of Lost Steps. This sumptuous room, with marble floors and gilt candelabra, was named after the old and unusual acoustics of the place. On the opposite side, the Chamber of Deputies still has the old furniture and it is decorated with bas-reliefs designed by Italian artist Gianni Remuzzi.

(4th & 5th photo)

Through this window, we can see the Grand Theater of Havana, one of the world's largest, which was built in 1915 to organize social activities for the huge and opulent Spanish community in Havana. Now, it hosts the famous Ballet Nacional de Cuba, a school and dance company known for the organization of a famous annual ballet festival.

(6th photo)

At the exit there is a monument devoted to José Martí, the revolutionary hero and national poet.

(7th photo)

Outside the building, we can see some typical transportation in Cuba, like old cars, the ancient horse-drawn carriages and bicycle taxis, an alternative to taxis, slower but very ecological.

(8th & 9th photo)

By the time one leaves the city, there is still time to drink a daiquiri at the Floridita with Ernest Hemingway. The American writer, passionate about Cuba, decided in 1939, to remain on the island, where he lived until 1960, a year before committing suicide in the United States.

(10th photo)

But the best moment of this journey was still to come...

Before this trip to Cuba comes to reality, several times, in my spare time, I had looked at the book and thought of the cities it saw and the wonderful people it met. However, I felt that this tour of the world had not been complete yet. I felt it lacked the signature of a great vernian, a man who taught me so much about Verne -besides Carlos Patricio-, through his magazine, Mundo Verne, which - by the way- I am proud to collaborate with. This man deserved to have his name alongside those of other recognized names in the vernian world.

(11th & 12th photo)

At this time I guess everyone surely knows of whom I speak about. His name: Ariel Perez.

I have asked my parents at the time they were leaving Portugal, to make every possible effort to meet this vernian in the city where he lives. Despite some difficulties, the long-awaited meeting took place in Santa Clara, Ariel’s homeland, on September 8, 2009.

Santa Clara was founded on July 15, 1689 by a group of inhabitants of Remedios, a coastal city in Cuba, who had settled on the coast to be safe from attack by pirates. It is now known as the "city of the heroic guerrilla". There, in 1958, took place the last battle of the struggle of the guerrillas led by Che Guevara, which ended the dictatorship of Batista.

The meeting point was set in the area of the Che Guevara Memorial in the Revolution Square.

(13th photo)

This monument was built to commemorate the 30th anniversary of the battle, and it is dominated by an imposing bronze statue of Che with his arm in a sling (he had broken in the battle before the latter), and below, one can see a bas-relief representing scenes from the battle, and the record of the historic words he wrote in his farewell letter before leaving for Bolivia. Under the monument there is a museum displaying the personal effects of the guerrilla. A more recent construction in this area, one can view the memorial space as a reminiscent of Che and his 38 battle mates found in Bolivia thirty years after his death. They were all taken to Cuba in 1997.

(14th photo)

For now, this is the new tribute to Jules Verne with big words of thanks to Ariel and my parents for helping me to achieve my wish.
And also a special kiss of congratulations to my parents because of the 27 anniversary of their marriage which they celebrated in Cuba on September, 18.

(15th photo)

Follow the journey around the world using Google-Earth.

------------------------------------------------------------

O meu obrigado ao Edmar Guirra, pela tradução para o francês, e ao Ariel Pérez, pela tradução para o castelhano e inglês,

sábado, 19 de setembro de 2009

1ª Leitura verniana em conjunto (Adiada)

Devido do experiência gratificante da anterior iniciativa, e depois do tópico colocado aqui no blog, vamos ter a primeira Leitura em conjunto no nosso fórum.

Desta vez, o livro escolhido por alguns membros foi As Índias Negras, obviamente, de J. Verne.

A Leitura terá início 2ª feira, dia 28, e decorrerá nas próximas 5 semanas. Caso estejam interessados em participar, poderão ver os detalhes e inscreverem-se neste tópico.

O único requisito é que se registem (para quem ainda não se registou) no fórum para poderem colocar os vossos comentários, e que tragam vontade de aproveitar os benefícios de uma Leitura Conjunta.

domingo, 6 de setembro de 2009

E que tal uma leitura conjunta?

Parece que os vernianos estiveram de férias e portanto, agora que para a maior parte estas já finalizaram, aqui deixo novamente este pedido.

No fórum dedicado a J. Verne, cujo link se encontra na barra lateral deste blog, eu e o membro zepinoquio (Luís), resolvemos experimentar uma leitura conjunta de uma obra verniana. A obra escolhida foi "Um capitão de 15 anos".

Esta leitura em conjunto foi uma excelente forma de analisarmos esta obra, de debatermos as dúvidas que nos apareceram e de nos apercebermos de magníficas frases vernianas.
Eu, por exemplo, com a leitura em conjunto, estive mais atento a pormenores que enriqueceram substancialmente a história da obra. E, portanto, devido a estes factos e outros, gostaria muito de repetir esta experiência mas desta vez com mais participações de forma a tornar a sua análise ainda mais rica.

Aos interessados em participar, pedíamos que se registassem no fórum e nos ajudassem a escolher uma nova obra para leitura. Poderão dar uma vista nos tópicos já criados sobre a leitura anterior e ler os nossos comentários. Apareça, deixem as vossas opiniões sobre o que leram, e aproveitam os benefícios de uma Leitura Conjunta!

Estamos à vossa espera!


terça-feira, 1 de setembro de 2009

Europa-América relança "Da Terra à Lua"

A Europa-América, magnífica editora portuguesa que edita atualmente muitos dos livros de J. Verne com as excelentes ilustrações da época, lançou num novo formato e nova capa o livro "Da Terra à Lua" de Júlio Verne.

Este novo livro, que não substitui o do formato de bolso, insere-se nas comemorações do 40.º aniversário da chegada do Homem à Lua e tem um preço de €17.50.

Poderão adquiri-lo no site da Europa-América.

Sinopse:

Após a Guerra da Secessão, a nação americana vive um longo período de paz. Porém, um grupo de peritos em projécteis e balística avesso ao ócio vê-se subitamente sem missões nem objectivos. Urgia encontrar um novo inimigo e territórios inexplorados neste planeta ou noutros mundos desconhecidos. Elegendo a Lua como a nova fronteira da humanidade, os cientistas concebem uma cápsula tripulada, disparada por um gigantesco canhão a pólvora, destinada a explorar o solo lunar. Da Terra à Lua é um clássico e uma obra fundamental da ficção científica. Escrita em 1865, cento e quatro anos antes da chegada do Homem à Lua, é tida como uma obra visionária de Júlio Verne.

domingo, 30 de agosto de 2009

Revista 'Mundo Verne' #9 & #10 (versão em castelhano)

Um volume duplo, que compreende os números 9 e 10, já está disponivel.

Com 48 páginas e publicações em todas as secções que possui a revista, destaca-se a publicação do texto inédito Um filho adoptivo com uma introdução escrita especialmente para esta edição da revista por Volker Dehs, reconhecido especialista verniano e descobridor da obra nos arquivos da Biblioteca Nacional em Paris.

O artigo principal, refere-se à aparição da meteorologia nas obras vernianas. Um texto muito interessante que mostra, exemplificando, o uso dela para a descrição de muitos dos fenómenos que Verne se interessava em descobrir.
O artigo de Cristian sobre uma viagem extraordinária está desta vez dedicado à obra A estrela do Sul.

No resto, vários textos interessantes completam a edição.
Muito recomendado os textos de Volker Dehs com a informação exata do que se encontra disponível em matéria verniana na Biblioteca de Amiens e o artigo do nosso colaborador e tradutor da revista, Frederico Jácome, com um texto sobre a viagem do livro que deu a volta ao mundo entre o final do ano passado e inícios deste.

O verniano Garmt de Vries chega desde os Países Baixos para confessar-nos as paixões que o levaram a vinculá-las com o tema Verne.
Harry Hayfield escreve sobre uma porção de território -a sua terra Natal- que Verne parece ter esquecido por completo; Brian Taves comenta a versão de 1984 do conto Mestre Zacarias que foi produzido num filme televisivo.

Graças novamente ao Frederico, este fornece-nos um texto profundamente documentado já publicado no seu blog e que interessará, sobretudo, aos vernianos de língua portuguesa já que descreve os detalhes das primeiras edições de Verne nesse idioma.
Por último, outra carta de Verne ao seu pai, esta dos princípios de 1849.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Revista 'Mundo Verne' #8

O número oito de Mundo Verne, o última de 2008, está finalmente disponível!
Em primeiro lugar, gostaria de transmitir um pedido de desculpas de todos os que elaboram a Mundo Verne, onde nós nos incluímos, para com os vernianos de língua portuguesa que acompanham a nossa revista.

Esta demora de 7 meses na tradução e no aparecimento do próximo número deve-se, exclusivamente, a razões pessoais do nosso editor e diretor da revista, Ariel Pérez, que serão explicadas no próximo número.

Com 30 páginas, destacamos a abertura de uma nova secção graças à colaboração de Alexandre Tarrieu que trará curiosidades e material de interesse acerca do universo verniano.

O artigo de Cristian, nesta ocasião, fala da obra da Secessão, Norte contra Sul. Cristian também escreve uma interessante análise da relação do seu país com o escritor francês.

Há duas colaborações provenientes de Espanha nesta edição: Pasqual Bernat, presidente da Sociedade Catalã Jules Verne explora a ciência na aventura lunar e Joan Manuel Soldevilla fala sobre a leitura de Verne na escola e como envolver os alunos nas obras do gaulês.

Mundo Verne põe-se à fala com... Volker Dehs que nos fala da actualidade verniana e dos seus planos futuros, como também de uma surpresa.
De resto, o capítulo 3 de O cerco a Roma e uma carta de Verne ao pai escrita nos finais de Outubro de 1848.
Mundo Verne 8

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Coleção 'Biblioteca Júlio Verne' chega ao Brasil

A coleção Biblioteca Júlio Verne da RBA lançada em Portugal, finalmente chegou ao Brasil, mais propriamente às cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

O primeiro exemplar, A Volta ao Mundo em 80 dias (réplica do livro que deu a volta ao mundo), está com um preço de lançamento de R$11.90. O segundo e restantes exemplares custarão R$19.90.

Ainda se desconhece se a RBA lançará os 66 volumes da coleção completa (ver aqui a lista completa) ou se a diminuirá para 44 volumes como aconteceu no último lançamento da colecção em Portugal. 

Quem perder algum livro também tem a opção de pedir pelo e-mail fornecido pela distribuidora Publisher Lda ou visitando o site da Jovem Banca.

Veja aqui a notícia e comentários deste lançamento em Portugal.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...