domingo, 24 de novembro de 2013

Vinte mil Léguas Submarinas... em versos (Atualizado)

Quando realizei pela primeira vez o trabalho de transformar em versos, uma obra do grande Julio Verne, fiquei feliz. E depois dele outros dois também acabaram sendo transformados na linguagem poética.
A Ilha Misteriosa e a Volta ao Mundo em 80 Dias ficaram satisfatórias pois fiz sem perder detalhes das obras. Já em 20.000 Léguas Submarinas, confiei na memória e muito da obra acabou ficando sem ser transcrita. Isso me incomodava pois a minha obra preferida era a que tinha ficado menos bem feita. Por isso, li e reli a obra, corrigi alguns versos que achei que não estavam bons e acrescentei muitos outros com os detalhes que passaram na primeira adaptação.

Roberto Dias Alvares

---------------------------------------

Quando criamos o blog JVerne estávamos muito longe de pensar que se tornaria em algo de tanto sucesso. É com bastante agrado que regularmente lemos e respondemos às muitas mensagens dos nossos visitantes que nos questionam com dúvidas, que nos enviam notícias, desenhos, comentários de obras, etc... Porém, de todas as interessantes mensagens que recebemos, esta foi a que mais nos surpreendeu.

Há cerca de um mês, um dos nossos regulares visitantes, Roberto Alvares, do Paraná (Brasil), enviou-nos um email onde nos informava que se encontrava a elaborar o enredo de 20.000 Léguas Submarinas... em versos. Ficamos desde então bastante ansiosos pelo trabalho final.

Hoje recebemos a tão esperada notícia de que o verniano Roberto completara o seu enredo e num método de quadras em rima cruzada ou alternada em que o primeiro verso rima com o terceiro, e o segundo com o quarto.

O que apresentamos de seguida, é algo inédito no mundo verniano. Eu, pelo menos, nunca vi nada igual. Não estou com certeza a exagerar quando digo que o seu trabalho está BRILHANTE.

Em nome de todos os nossos visitantes, dou os parabéns ao nosso amigo e verniano Roberto pelo seu fantástico trabalho. Se ainda não leram a obra, agora não há desculpas!


Deixem as vossas avaliações.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

'20 000 Léguas Submarinas' ilustrada por Robert Dunn

A Girassol Edições (Portugal) editou uma coleção de clássicos originais escritos por autores conceituados e com ilustrações de Robert Dunn. Histórias que continuam a fascinar os mais novos e com uma lição de moral.

Um desses exemplares é 20 000 Léguas Submarinas:




Fonte: Girassol Edições

domingo, 10 de novembro de 2013

Edições jovens de 'A Volta ao Mundo em 80 Dias' e '20.000 Léguas Submarinas'

Histórias Fantásticas, da editora Caracter, pretende reunir nesta coleção uma seleção de histórias e contos de autores clássicos e contemporâneos, apreciados por todos, e novas histórias, ideais para aceder a um admirável mundo de magia e em que a imaginação e o sonho, estão sempre presentes.

Textos cativantes e ilustrações maravilhosas, visões de ilustradores mais jovens que nos transportam para atmosferas e aventuras, de personagens de autores como Júlio Verne, Alexandre Dumas, Herman Melville, Daniel Defoe, e outros.

Novos públicos, autores brilhantes e eternos, histórias sem tempo nem época, estas aparentes contradições conseguem nesta colecção, encontrar forma, pelo punho de uma nova geração de jovens talentos, de conseguir espanto e surpresa, entre públicos mais conhecedores e novos consumidores, em contacto com as obras editadas.

O número 1 e 2 desta coleção são 20.000 Léguas SubmarinasA Volta ao Mundo em 80 Dias, respetivamente, com ilustração de Jorge Ribeiro e Alice Azevedo e adaptação de José António.

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Passeio pelo interior de um submarino

O HMS Ocelot reformou-se há mais de duas décadas. Mas mantém a escotilha aberta para os turistas verem por dentro um submarino dos anos 1960. Agora, nem sequer é preciso ir até ele.



Lançado em 1962, foi o último submarino a ser construído em Chatham para a Marinha Real britânica. Pertence à classe Oberon, diesel-eléctrico, e está equipado com oito tubos de torpedo, seis deles perfeitamente identificáveis na visita proporcionada pelo Google. A sala de controlo, as camaratas e as casas-de-banho são visitáveis.

Os corredores esguios e a parafernália electrónica que se encontra pelo caminho ajudam a dar uma noção do ambiente claustrofóbico e da complexidade técnica de uma embarcação deste tipo.

Quem encontra o tabuleiro com os bolos?

Fonte: Público.pt

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...