sábado, 24 de março de 2018

A Morte de Júlio Verne

Hoje, dia 24 de Março de 2018, são completados 113 anos da morte de Júlio Verne.

O seu neto, Jean-Jules Verne, na biografia ao seu avô dá-nos conta dos seus últimos momentos como a conclusão de um sofrido calvário de doenças: a catarata, que lhe custou a vista do olho direito; o reumatismo avançado; as pernas doentes e a crise de diabetes,...

O meu avô morreu a 24 de março de 1905 (sexta-feira), às oito da manhã. Do sul da França, de onde nós ainda estávamos a arrumar a mudança de casa, o meu irmão mais velho e eu fomos chamados por telegrama para juntar-nos aos nossos parentes e ao nosso outro irmão, no norte, ao lado do leito de Verne em Amiens. Quando ele nos viu a todos ali, deu-nos um olhar profundo que claramente significava: “Bom, vocês estão todos aqui. Agora, eu posso morrer”; então, ele virou-se para a parede, esperando bravamente pela morte. A sua serenidade nos impressionou enormemente, e desejamos ter uma morte tão serena quanto a dele, quando chegar a nossa hora”.

 
© Centre International Jules Verne
Imagem cedida de JVerne.net.

Jules Gabriel Verne foi enterrado no Cemitério de La Madeleine, na cidade francesa de Amiens, com honras militares pois era possuidor da Legião de Honra da República de França. O cortejo, no dia 28 de Março, foi acompanhado por mais de cinco mil pessoas.

© Centre International Jules Verne
Imagem cedida de JVerne.net

© Centre International Jules Verne
Imagem cedida de JVerne.net.

O nome do monumento funerário onde repousa até hoje, revela a todos nós o seu maior segredo, e uma filosofia de Vida que deveríamos perseguir:

"Vers L'Immortalité et L'Eternelle Jeunesse" 
ou
"Rumo à Imortalidade e à Eterna Juventude".


No ano de 1905, a morte do grande escritor foi notícia em jornais e revistas semanais portugueses, entre elas, a OCCIDENTE "Revista Illustrada de Portugal e do Estrangeiro". Aqui a sua efeméride:

Edição de Abril de 1905 Nº947.

Texto por Carlos Patrício e fotografias do cortejo fúnebre cedidas pelo verniano Cristian Tello, do site JVerne.net.

sábado, 10 de fevereiro de 2018

Lançada a edição mais bonita da obra de Júlio Verne



É assim que é apresentada a nova coleção de J. Verne da RBA lançada em Portugal no dia do 190º aniversário do escritor. Relembro que esta nova edição já havia sido lançada em Espanha em 2011 e todos nós aguardávamos por ela.

Em relação à anterior edição lançada em Portugal, e posteriormente no Brasil, esta oferece-lhe novamente a melhor seleção das Viagens Extraordinárias de Verne mas, desta vez, numa edição exclusiva ilustrada inspirada na original do século XIX do editor Pierre-Jules Hetzel.



O primeiro volume, A Volta ao Mundo em 80 Dias, tem um custo de €2.95 e estará nas bancas nos próximos 14 dias. A partir do 2º volume, Vinte Mil Léguas Submarinas, as obras serão lançadas semanalmente e terão um custo unitário de €9.95. Para nossa satisfação, esta coleção será constituída por 67 volumes.

Trata-se, portanto, de uma pequena joia bibliográfica cuidada até ao mais pequeno pormenor, com capas e lombadas desenhadas da mesma forma que os originais, gravações douradas e com a reprodução das ilustrações do interior, dos frontispícios e das primeiras páginas.

Para os vernianos que não conseguiram adquirir a edição anterior, não deixem escapar esta excelente coleção.


quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

190 anos depois, Verne continua imortal

Hoje, 8 de Fevereiro, completam-se os 190 anos do nascimento do nosso 'mestre' J. Verne (1828-1905).

Verne, parece ter atingido o que representa a impressionante escultura na sua sepultura no "Cimetiére de la Madeleine" (Amiens), criada por Albert-Dominique Roze (1861-1952): “Rumo à Imortalidade e à Eterna Juventude”.


O imortalizado Verne que compartilha as suas obras com gerações e gerações de leitores há mais de 145 anos (desde o seu primeiro livro, "Cinco Semanas em Balão", publicado em 1863), continua a ser cada vez mais objeto de leitura e pesquisas hoje em dia, arriscando-se a ser, como muitos dos seus personagens, um grande e quase insondável mistério.

O escritor francês não nos para de surpreender e tudo indica que assim continue por muitos mais anos!

Parabéns mestre!

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Vencedor de Oscar produz animação sobre Júlio Verne

O cineasta e roteirista francês Michel Hazanavicius, vencedor do Oscar por O Artista, juntou-se ao projeto de animação Little Jules Verne.

Segundo o Deadline, a produção vai reimaginar a vida do jovem Júlio Verne, antes de ser escritor, poeta e dramaturgo, e quais foram as suas inspirações na Europa do século XIX para escrever obras como "Viagem ao Centro da Terra", "Vinte Mil Léguas Submarinas" e "A Volta ao Mundo em Oitenta Dias".

Foto: Brian de Rivera Simon/Getty Images; Enormous / AdoroCinema

O filme será dirigido por Régis Vidal (A Pequena Loja de Suicídios) e Didier Ah-Koon (que trabalhou na arte de Pets - A Vida Secreta dos Bichos, A Era do Gelo: O Big Bang e Despicable Me 2), marcando o primeiro projeto de Hazanavicius no qual ele adaptará o roteiro e diálogo. O esboço foi, originalmente, escrito por Anne e Gérard Guèro (responsáveis pela HQ da Marvel "Tales of the Dragon Guard"), e Pierre-Gilles Stehr (Oggy e as Baratas).

Michel Hazanavicius afirmou que ele se sentiu atraído pelo "exercício de me confrontar com um universo mais infantil, realmente responder a um pedido e me colocar a serviço do projeto de outra pessoa. [...] Eu realmente gosto de escrever, e esta foi uma experiência agradável: o relativamente curto período da missão, a ideia de que eu poderia ajudar um filme a nascer, e a tenacidade e o engajamento de Benoît Pierre, que me convenceu a fazê-lo".

A ideia original do filme é de Benoît Pierre e será produzida por sua companhia, Enormous Pictures, ao lado de Caribara e Mikros Image (As Aventuras do Capitão Cueca - O Filme, Asterix e o Domínio dos Deuses). Eles também prevêem lançar uma saga em BD no primeiro semestre de 2019 e uma série de TV animada para crianças de 6 a 10 anos, que está sendo oferecida a canais de TV franceses.

Fonte: AdoroCinema

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

'Viagem ao Centro da Terra' (1959) no Cinema

O IndieJúnior – Festival Internacional de Cinema Infantil e Juvenil do Porto vai ter, de 30 de janeiro a 4 de fevereiro, cerca de 50 filmes em competição espanhados pelo Teatro Municipal Rivoli, a Biblioteca Municipal Almeida Garrett e o Cinema Trindade, todos na cidade do Porto (Portugal).


Uma das secções não competitivas, "O Meu Primeiro Filme", conta com três longas metragens escolhidas por três personalidades da música, três propostas sobre a própria infância de Ana Deus, Rui Reininho e Carlos Tê, que serão exibidas no Cinema Trindade com apresentação dos próprios.

Ana Deus, que fez parte de grupos como os Ban ou os Três Tristes Tigres, escolheu “Alice no País das Maravilhas”, um clássico da Disney de 1951, que será exibido a 03 de fevereiro, enquanto o letrista e escritor Carlos Tê se decidiu pelo britânico “Os Gloriosos Malucos das Máquinas Voadoras”, realizado por Ken Annakin, em 1965, para uma sessão marcada para dia 02. Já o vocalista dos GNR, Rui Reininho, que abre a secção a 01 de fevereiro, escolheu o norte-americano “Viagem ao Centro da Terra” (1959) realizado por Henry Levin e com James Mason, Pat Boone e Arlene Dahl.

Os bilhetes podem ser adquiridos no local e custam €4.
Relembro que este filme, inexplicavelmente, nunca foi lançado em DVD em Portugal, por isso, não perca esta excelente oportunidade de (re)ver este filme no grande ecrã do histórico Cinema Trindade.


Foi indicado 3 categorias do OSCAR® em 1959:
Direcção de Arte, Som e Efeitos Especiais

Sinopse:
Fantasia e diversão certamente são o ponto alto desta versão cinematográfica do clássico suspense de Jules Verne, estrelado por James Mason, Pat Boone e Arlene Dahl. Com lugares espectaculares como pano de fundo, a história conta as aventuras da expedição liderada pelo Professor Lindenbrook (Mason) rumo ao centro da Terra. Também são membros do grupo um estudante de astronomia Alec (Boone) e a viúva de um colega (Arlene Dahl). Perigos, como sequestro, morte, sabotagem preparada por um explorador rival, espreitam pelo caminho. Répteis pré-históricos gigantes surgem a todo o momento. Mas, os aventureiros também encontram maravilhas deslumbrantes como uma reluzente caverna de cristais de quartzo, algas luminescentes, uma floresta de cogumelos gigantes e a cidade perdida de Atlântida. Permanecendo fiel à narrativa de Verne, esta é uma aventura arrebatadora que garante suspense e diversão para todos os exploradores da família.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...