sábado, 5 de janeiro de 2008

Júlio Verne vs. J. K. Rowling

Neste Natal, muitos jovens receberam o último livro de Harry Potter, réplicas do feiticeiro, jogos com as personagem dos livros, os filmes, etc....mas poucos, se não mesmo nenhum, receberam um livro de Verne.

É certo! Os livros de Júlio Verne foram substituídos, pelo menos em Portugal, pelos livros de J. K. Rowling. Mas porquê?

Júlio Verne foi de facto o primeiro escritor a dirigir-se expressamente à juventude com as suas Viagens Extraordinários por Mundos Conhecidos e Desconhecidos, mas a juventude actual mudou muito: hoje há a televisão, o cinema, a Internet, ou seja, há outras narrativas, outras mitologias. Mas será esta a razão?

O lado universalista de Harry Potter da amizade entre personagens de línguas diferentes, que é muito ingénuo e muito comovente, ainda tem muito valor. Além do mais, tem o lado fantástico, do impossível; tem os poderes que as crianças desejavam ter (qual a criança que não gostava de se tornar invisível, voar, aprender magia?) e tem amor! São histórias do futuro! As histórias de Júlio Verne são histórias do passado apesar de há um século serem histórias do futuro. Ir à Lua, viajar de submarino, dar a volta ao Mundo já é possível hoje em dia e estou certo que isto já não desperta a curiosidade das novas gerações ao contrário dos livros de Rowling. Mas ler Verne será apenas isto? Com certeza que não. Ler Verne não é só viajar, é também aprender através da ciência (química, física, astronomia, etc); é conhecer novos povos, culturas, países e continentes; é transmitir-nos capacidade de sobrevivência, de força, e não de desistência. As obras de Verne transmitem isto e muito mais que só podemos aprender lendo, mas as Rowling não.

Sinceramente para mim, pouco mais se aprende das obras do feiticeiro do que do acima citado. Alias, o mundo Harry Potter despreza o mundo dos homens e o mundo dos bruxos e feiticeiros é glorificado; é um assalto às novas gerações, seduzindo-as totalmente para um mundo de bruxas e feiticeiros onde o mal reina; Hogwarts, a escola de magia e bruxaria, é um mundo fechado de violência e horror, de maldições e de bruxaria, de ideologia racista, de sacrifícios sangrentos, de repugnância e obsessão; e para finalizar, Harry Potter é um plano global a longo prazo para mudar a cultura onde as novas gerações as inibições contra a magia e o ocultismo estão a ser destruídas.

Como disse, pouco de bom vejo nas histórias de Rowling mas de facto é que Harry Potter ganhou a Verne!

Agora me lembro. Há outra coisa que há em Harry Potter e não nas Viagens Extraordinárias. As personagens de Verne comem, dormem, vão ao fundo do mar, chegam à lua, dão a volta ao mundo, mas nunca fazem amor. Não há sexo, não há paixão!

Será por causa disso?

7 comentários:

Ana Paula disse...

Olá, Fred! Agradeço a visita e claro que terei o maior prazer em colaborar com o blog. Adoro Júlio Verne e acho uma pena que esteja colocado em segundo plano actualmente, quando há tanto acerca da sua obra que é desconhecido. Sobretudo pelos jovens. Mas conhecendo Verne, só podem ficar maravilhados.
Vou fazer a ligação ao teu blog lá no meu.
Parabéns pelo excelente trabalho, teu e do Carlos!

Carlos Patrício disse...

Obrigado pela menção ao meu nome, profesora Ana Paula. E parabéns a você também pelos textos sempre interessantes e muito inteligentes.

Quanto ao bruxinho de óculos, meu filho aos dez, onze anos também se deixou seduzir pela mídia em torno dos filmes e leu alguns livros de Rowling. Apesar de bem escritos, agora que ele fez 14 anos, estão escondidos num canto da estante do Leonardo, que não tem o menor interesse neles.

É um passatempo interessante, mas não me parece mexer com a cabeça dos pequenos da mesma forma que Verne fazia. É claro, são outros tempos...

Sonia Regina Gomes Maia disse...

Olá Fred!

Obrigada pela visita ao blog e pelo comentário.

A coluna Ecco!, de Umberto Eco, da revista Entrelivros n. 03 de 2004 - da Duetto Editorial (publicada no Brasil) - trouxe o artigo “Viagem ao Centro de Júlio Verne”, uma homenagem à comemoração do centenário de morte do autor. Indica o site (http//:jv.gilead.org.il/) com inúmeras ilustrações das publicações de Hetzel, para vários títulos de Verne.

Em 2005, a Scientific American /Duetto Editoral lançou a série Exploradores do Futuro com seu primeiro número dedicado a Júlio Verne. Vale a pena conferir.

Posso ver se consigo o livro de BENÍTEZ, J. J. Eu, Júlio Verne. São Paulo: Mercuryo, 1988.

Um abraço!

Lucas Conrado disse...

Bem, a série de livros de Harry Potter era a minha preferida até conhecer Júlio Verne.
Ah, não acho que Harry Potter seja tão ruim assim. Há muitas coisas na história que as crianças, e muitos adultos, não percebem, por exemplo a comparação entre o reinado de Voldemort e o Nazi-Fascismo.
Eu acho que Harry Potter faz tanto sucesso por causa dos filmes. Qual foi a última grande superprodução feita baseada num livro de Júlio Verne? Se começassem a fazê-las, certamente Júlio Verne seria mais lido...

susana disse...

Na minha opiniao, nao acho que os livros do harry potter sejam maus eu gosto de os ler. A escritora da forma como escreve consegue captar a atenmçao do leitor, e sabe fazer o suspense que tanto interesse dá aos livros. Não me referindo só ao harrt potter mas a muitos outros.
Em relação ao dizeres que Júlio Verne foi ultrapassado pela J. K. Rowling nao faz sentido.Sao escritores completamente diferentes, que viveram (Júlio Verne) e a escritora ainda viva em tempos completamente dferentes. Estares a comparar os livros de um aos livros de outro é como comparares agua e azeite. A unica coisa que os "une" será a sua escrita mais direccionada para jovens. Nao estou a dizer que um é melhor que o outro, simplesmente são diferentes mas ambos muito bons enquanto escritores.Mas agora deixo uma questao, todas as pessoas (crianças e adultos) percebem a história do harry potter, será que todas as pessoas percebem a mensagem que Júlio Verne quis transmitir nos seus livros?

Fred disse...

Estás a dizer que esta juventude não entende os livros de Verne? São assim tão mais complicados só por ter mais informação e cultura?
Realmente os livros de Rowling são de "fácil digestão" mas penso que esta juventude tem capacidade para isso...ou será que não?:/

Para terminar deixo uma frase de um amigo verniano:

"J. K. Rowling inventou um novo mundo enquanto Verne inventou um novo século."

Weslley disse...

nunca me interessei e não vislumbro o dia em que vou gastar meu tempo lendo Harry Potter.... fala sério, muito viajado..... deve ter algo por trás de tanta bruxaria, afinal não é normal um livro grosso como esses cativarem crianças e até mesmo os pais das crianças, fazendo com que passem o dia todo lendo-os.

Bruxaria, maldições, monstros, terras utópicas... tanta bobajada que não ensina nada de novo, nada de útil...

E quem disse que todos entendem realmente o escrito nas sublinhas? acho que há muito em oculo nesses livros do garoto bruxo, coisas que não conseguimos perceber normalmente. Podemos entender o óbvio, mas e aquilo que não está tão na cara assim???

é um verdadeiro mercado; o dinheiro fala mais alto. Se o primeiro volume não tivesse dado certo, com certeza a série nem mesmo existiria....

Os livros de Verne não seguem a onda do comércio: são realistas (tá, a ficção que existe vale a pena, é plausível), interessantes, cativantes e muito inteligentes.... eles movimentaram toda a ciência de uma época, intrigaram e revolucionaram a cultura de seu tempo. O que dizer?/??


"Realidade+ficção" + Conhecimento + Aventura=....... Verne!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...