terça-feira, 27 de fevereiro de 2007

Afinal Verne sempre tinha razão...

Parece que Júlio Verne sempre tinha razão quando na sua obra "20000 Léguas Submarinas", mostrou o Nautilus a ser atacado por uma lula gigante.


Pescadores neozelandeses podem ter capturado a maior «lula colossal» já vista, com peso aproximado de 450 quilos e anéis do tamanho de pneus.

O molusco adulto, da espécie «Mesonychoteuthis hamiltoni» («lula colossal» é o nome popular) foi apanhado em águas profundas, já na região da Antárctida, disse o ministro neozelandês da Pesca, Jim Anderton.

Ele media 10m e, segundo os pescadores, tinha olhos do tamanho de um "prato de jantar".

A espécie foi descoberta em 1925, quando dois tentáculos foram encontrados no estômago de uma baleia cachalote, mas apenas em 2003 um animal completo foi capturado.

Ela tem o mesmo comprimento da conhecida "lula gigante", identificada desde 1857, mas pesa o triplo e vive apenas na região Antártica, entre mil e 2,5 mil metros de profundidade.

«Olhei também e não pude conter um movimento de repulsa. Ante meus olhos agitava-se um horrível monstro, digno de figurar nas lendas teratológicas.
Era um polvo de dimensões gigantescas. Teria cerca de oito metros de comprimento e caminhava recuando com incrível velocidade, em direção ao navio, cravando nele os grandes olhos de matiz esverdeado. Seus oito braços, ou melhor, seus oito pés, saindo da cabeça, o que faz com que esses animais sejam chamados cefalópodes, tinham o dobro do tamanho de seu corpo e se agitavam como a cabeleira das Fúrias. Podia-se ver bem as duzentas e cinqüenta ventosas espalhadas na parte interna dos tentáculos, em forma de cápsulas esféricas. Às vezes, tais ventosas se prendiam ao vidro da janela produzindo vácuo. A boca do animal, uma espécie de apêndice córneo parecido com o bico de um papagaio, abria-se e fechava-se verticalmente. A língua, que também era córnea, e com várias fileiras de dentes pontiagudos, saía vibrando como um verdadeiro alicate. Que capricho da natureza! Dar um bico a um molusco! Seu corpo fusiforme e maior em sua parte média formava uma massa de carne, cujo peso deveria ser de vinte a vinte e cinco mil quilos. A sua cor variava muito depressa, segundo o estado de irritação do monstro, indo do cinzento-claro até o marrom-avermelhado.
O que irritara o molusco? Talvez a presença do Nautilus, maior do que ele, e contra o qual de nada valiam seus tentáculos nem suas mandíbulas. Entretanto, a natureza concedeu muita vitalidade a esses polvos gigantes, dotando-lhes de três corações!
De repente, o submarino se deteve. Uma forte batida fê-lo trepidar.»

Júlio Verne, Vinte Mil Léguas Submarinas (excerto)

1 comentário:

Fred disse...

Aqui fica uma notícia recentemente saída sobre as lulas gigantes.

De acordo com um projecto da WWF, a zona submarina compreendida entre o Cabo Penas e o Cabo Vidio, sobre a costa setentrional espanhola, poderá ser classificada "reserva natural submarina" em 2012. Esta zona comporta uma garganta cerca de 4.000 metros de profundidade, na qual vivem um elevado número de espécimes de "Architeutis Dux", famosos calmares gigantes de "20.000 léguas submarinas".

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...